Livro do autor Argemiro Aluísio Karling, sobre a Neurociência, relacionado à anatomia do cérebro, às funções de cada uma de suas partes, os distúrbios neurológicos e cognitivos e a outros.
Clique aqui e acesse o livrohttps://docplayer.com.br/211408601-Argemiro-aluisio-karling.html 

 

Prof. Me.
Argemiro Aluísio Karling

                                                                                                  
Diretor Pedagógico da FAINSEP

O conhecimento é hoje o maior valor da sociedade e também a salvação
da humanidade. Por esse motivo, ele se torna o melhor investimento do mundo,
pois é o que gera mais riqueza.

Albert Einstein, porém, refere que, mais importante que o
conhecimento, é a imaginação. Esta afirmação é muito importante, mas para
alguém ter imaginação, é preciso ter informações, que é a matéria prima para
pensar e imaginar. Sem estas, vai se imaginar com quê?

As informações é matéria prima para produzir conhecimento, e este,
para gerar sabedoria. Sandra Carey afirma que não devemos confundir
conhecimento com sabedoria; que um ajuda a ganhar a vida; o outro, a construir
uma vida.

Confúcio, filosofo chinês, afirma que: A essência do
conhecimento consiste em aplicá-lo, uma vez possuído.

Todas as pessoas e empresas deveriam fazer um investimento em que
haja valor e obter bons resultados. O melhor e mais eficaz é o investimento em
conhecimento. Assim, as pessoas podem ter salários melhores, ser mais felizes,
mais sábias e competentes para auxiliar o próximo e ter uma sociedade melhor. A
educação pode salvar e transformar vidas. Outro ponto importante é que quanto
mais conhecimento a pessoa tiver, mais poder terá; e as empresas poderão gerar
mais empregos, ter mais eficiência dos trabalhadores e diminuir os preços dos
produtos.

Quando se fala em auxiliar o próximo, podemos compreender também
um grande número de pessoas e a sociedade comum como um todo.

É a partir do conhecimento que se faz sucesso. Caminhar em direção
a ele, mas nunca parar de caminhar, assim poderemos até ultrapassar nosso sonho
e nos preparar para o futuro.

Falar de futuro nunca foi
simples, porém, quando falamos em educação, devemos ter como ponto de partida e
alicerce a confiança no futuro e, generosamente, transmitir para as novas
gerações a paixão e a força para construir o amanhã e transformar sonhos em
vida.”(Catho Comunicação, 2014).

Curso
superior não garante competência e sucesso. O que importa é ter informações,
saber pensar, ter criatividade e sonhos. Isso implica em a pessoa ter vontade,
dedicação e esforço em sempre saber mais para fazer o bem e servir ao próximo.

Sobre
esse assunto, podemos ver, por exemplo, as descobertas e invenções que os
grandes inventores fizeram. Certamente, buscaram muitas informações,
construíram ideias, tiveram imaginação, iniciativa, criatividade e coragem em
fazer algo melhor para o mundo.

Eu
procurei na internet mais informações sobre “A riqueza do conhecimento”, e veja
o que encontrei em um blog, divulgado em abril de 2020:

As 7 Riquezas – Riqueza
de Conhecimento

Por: Equipe JRM | Blog | 13 de
abril de 2020

Sem dúvidas
um dos mais belos e admiráveis tipos de riqueza é
a riqueza de conhecimentos. É o tipo de riqueza que não depende de nada além da
sua própria dedicação e paciência. Aqueles que possuem riqueza de conhecimento
podem ser verdadeiramente considerado sábios. A sabedoria é um bem que não nos
pode ser tomado nem roubado por ninguém. Independentemente de como gira a roda
da fortuna, nossos conhecimentos permanecem conosco. O segredo para a riqueza
de conhecimentos é ser grato por tudo que o Universo te ensina.

Todo o
conhecimento que adquirimos ao longo da vida precisa reverberar em outras
pessoas, caso contrário ele morre conosco. É através da transmissão que
nossos conhecimentos se perpetuam. Temos o dever de
partilhar todo o conhecimento que recebemos, passá-lo adiante e ensiná-lo para
o máximo de pessoas. Por que devo buscar riqueza de conhecimento? Tudo aquilo
que aprendemos, tudo aquilo que conhecemos, criamos, relacionamos, enfim, tudo
o que enriquece nossa sabedoria expande nossa consciência eternamente. Tudo
aquilo que aprendemos, tudo aquilo que conhecemos, criamos, relacionamos,
enfim, tudo o que enriquece nossa sabedoria expande nossa consciência eternamente.

Cada contexto, cada situação exige um tipo específico de
conhecimento. Somente através da riqueza de conhecimento adquirimos a sabedoria
para utilizar corretamente toda as informações que acumulamos. E o mais
importante: quanto mais rico em conhecimentos nos tornamos, mais conhecimentos
deixamos para as gerações futuras. O pequeno ato de aprender e transmitir algo
hoje pode mudar o mundo através das gerações seguintes. Como busco a riqueza de
conhecimento? A primeira coisa que pensamos quando falamos em buscar riqueza de
conhecimentos é em estudar.

Pensamos na escola, nos livros, faculdades e nos estudos formais.
De fato, tudo isso produz riqueza de conhecimento: quanto mais estudamos mais
aprendemos. Todavia, não devemos nos esquecer que existem muitos tipos de
conhecimentos diferentes. Nem todos os conhecimentos do mundo podem ser
transmitidos e recebidos através de livros ou escolas. Existem conhecimentos
que surgem da própria prática de alguma atividade, do contato com a natureza,
do exercício de uma arte ou da meditação. Conheço pessoas analfabetas que vivem
no campo e são extremamente sábias. Mesmo sem nenhum estudo formal, elas detêm
conhecimentos extremamente valiosos dentro do contexto em que vivem.

VOCÊ É FELIZ?

Sabem, por exemplo, identificar e cultivar diversas espécies de
plantas que a maioria de nós sequer notaria; reconhecem pássaros pelo seu
canto; sabem criar e lidar com diversos tipos de animais. Por isso, para ser
sábio, basta estar aberto para perceber tudo o que existe ao seu redor. Se você
tem acesso a livros e escolas, use isso a seu favor. Se você frequenta ou já
frequentou uma universidade, atualize e compartilhe seus conhecimentos. Se você
possui um comércio, aprenda algo novo com seus clientes todos os dias. Se você
frequenta alguma religião, aprenda através de sua fé. Todas essas formas são
válidas. Como saberei que tenho riqueza de conhecimentos? Primeiramente, é
preciso entender a diferença entre informação e sabedoria.

O mero acúmulo de informações, por si só, não significa nada.
Vivemos em um tempo em que existe um grande volume de informações. Somos
bombardeados por informações o tempo todo através do celular, computador,
mídias sociais, televisão e rádio. Ter riqueza de conhecimentos não significa
decorar tudo isso. Pelo contrário, a primeira coisa que o sábio aprende é a
filtrar as informações que recebe. Primeiramente, nem todas são verdadeiras; e
em segundo lugar, não é humanamente possível acompanhar o volume de informações
produzido diariamente. Ter riqueza de conhecimento é ter sabedoria para separar
o joio do trigo.

É saber
quais informações você deve ignorar em função de outras que você deve buscar
ativamente. Se você possui conhecimentos sobre algo que podem ser úteis para
ajudar outras pessoas, você possui riqueza de conhecimentos. Se você é capaz de
ensinar outras pessoas sobre algo, você possui riqueza de conhecimentos.

Voltemos,
agora, para o mundo real e concreto.

Tempos
atrás, eu conheci um cara que era muito curioso e gostava de ler e de aprender.

Sabe
o que esse cara foi e fez?

Foi
agricultor; estudante, é lógico; extrator de areia manual; feirante; cabo do
exército; vendedor pracista; apicultor, carpinteiro; posseiro (furar posso para
água); professor do Ensino Médio; professor do Ensino Superior; coordenador de
curso de Graduação, diretor de faculdade, diretor de empresa; criador de cursos
superiores; criador de faculdade; assessor técnico; escritor e outras.

Quando
criança, com 7 anos, o pai dele disse que iria fazer uma surpresa para o cara.
Passados três meses, o pai veio da cidade e trouxe um livrinho Bê-á-bá, que era
a surpresa e ensinou o cara a ler.

Daí,
o cara entendeu o que o pai fazia com um livro em mãos, sentado na sala. Foi um
exemplo que provocou curiosidade e estímulo. No ano seguinte, foi matriculado
na escola primária. Daí em diante, passou a ler. O primeiro livro que leu foi a
Bíblia, doada pelo pai, meses depois.

Com
doze anos, foi para o seminário, onde fez o Ginásio. No seminário, tinha uma
boa biblioteca, onde leu imensidade de livros: José de Alencar, Camilo Castelo
Branco, Fernando Pessoa, Machado de Assis, Guimarães Rosa, Monteiro Lobato e
outros. Assim, ele criou gosto e se viciou em leitura. Quanto mais lia, mais
curioso ficava.

Cursou
o Científico (Ensino Médio da época), quando descobriu, nas páginas iniciais do
dicionário, a existência do curso de Pedagogia. Não era sonho, pois nem sabia
qual era a finalidade desta ciência.

O
primeiro curso de Pedagogia no Brasil foi criado em 1939, na Faculdade
Nacional de Filosofia – FNF.

Na
Universidade Federal do Paraná, o curso de Pedagogia foi criado em 1942.

Vinte
anos depois, em 1962, esse cara iniciou o curso na Universidade Federal do
Paraná e descobriu a possibilidade de serem criadas outras e novas funções para
o curso, para ser coerente com o que se estudava no curso, e passou a se
envolver, buscando informações, produzindo ideias e propostas para ampliar e
ajustar as funções do curso de Pedagogia.

Foi
daí que começou o sonho de ser pedagogo, professor e mais funções que estariam por vir.  Daí
em diante foi só sucesso. Ele conheceu e observou o princípio de Sócrates: “Conhece-te a ti mesmo”. Aprendendo
mais continuou conhecendo a si mesmo e percebeu que os sonhos poderiam ser mais
ousados. Assim chegou onde chegou.

No
decorrer do tempo, novos sonhos foram surgindo, chegando ao ponto de criar uma
faculdade, cuja missão consiste em oferecer educação para o maior número de pessoas. Ele
pensou que, se ele chegou onde chegou, outras pessoas poderiam chegar também. Daí ele sonhou em batalhar com garra para ajudar a
criar condições para que outros também tivessem oportunidade para chegar ao máximo
de suas potencialidades.

Mais
informações sobre o caminho, as estratégias, para que esse cara foi e fez, veja
no currículo, que consta nas páginas a seguir.

Este
cara, sou eu mesmo.

CURRÍCULO

Argemiro Aluísio Karling

DADOS PESSOAIS:

Nome: Argemiro Aluísio
Karling

Filiação: Osvino Karling e
Clara Karling

Naturalidade:
Passo Fundo – RS

Nascimento: 10
de abril de 1938

Estado civil:
Casado

Certificação de Reservista:
90.493 – série B – 1ª Categoria – 5ª RS, 3ª RM, Quaraí – RS. Cabo, apto à
promoção de 3º Sargento

Registro de Professor pelo WFC: F-835,
Psicologia e Sociologia, 2º ciclo, 1965

Endereço Residencial: Rua
Clemente Zequim, 100 – Jardim Santa Rosa, Maringá – PR

E-mail:
argemiro.karling@fainsep.edu.br

Telefone para contato: (44)
99961-4640

FORMAÇÃO

Educação Básica

  • 1947/1950: Primário,
    em escola particular (sem nome) em Mato Castelhano, Passo Fundo – RS.
  • 1952/1958:
    Ginásio (em tempo integral), no Seminário Apostólico da Sagrada Família em
    Santo Ângelo – RS e 1º ano clássico, no mesmo estabelecimento.
  • 1959/1961:
    Científico, sendo o 1º e o 2º ano no Colégio Nossa Senhora da Conceição, em
    Passo Fundo – RS, e o 3º ano no Colégio Estadual do Paraná, em Curitiba – PR.

Educação Superior

  • 1965: Licenciatura em Pedagogia,
    pela Universidade Federal do Paraná-UFPR. (Anexo 01)
  • 1968: Aprovado em 1º lugar
    no curso de Formação de Cabos do Exército e em 2º lugar para 3º Sargento, em
    Quaraí – RS.
  • 1979: Mestrado em Educação.
    Área de concentração: Administração de Sistemas Educacionais, pela PUC-RS. (Anexo
    02)
  • 1979: Currículo do curso de
    mestrado na PUC-RS.

EXPERIÊNCIA EM MAGISTÉRIO

  • 1966/1988:Magistério na Educação Básica, Normal
    Médio, como professor concursado, em Fundamentos da Educação e Teoria e Prática
    da Escola Primária. (Anexo 03 e 04)
  • 1974-atual: Magistério
    em Pós-Graduação (lato sensu), em 20 anos.
  • Magistério
    na Educação Superior, cursos de licenciatura, durante 51 anos:

   1967/1968:PUC-PR

1969/1974:FAFIMAN

1974/2003:UEM

1992:UNIPAR

2004-atual: FAINSEP

GESTÃO DE ENTIDADES, ÓRGÃOS E ORGANIZAÇÕES
ASSOCIATIVAS

  • 1958: Cabo do Exército, em
    Quaraí – RS. (Anexo 05)
  • 1963: Criador do Núcleo
    Paranaense de Pedagogos. Tese para 1º Congresso de Estudantes de Pedagogia,
    apresentada em Goiânia – Goiás. (Anexo 06)
  • 1967: Presidente da
    comissão de professores, com 20 membros, designada por Assembleia da APP (hoje
    sindicato) para acompanhar a discussão do 1º Estatuto do Magistério do Paraná.
    (Anexo 07)
  • 1969/1970:
    Chefe do Departamento de Pedagogia da Faculdade de Filosofia, Ciências e
    Letras, de Jandaia- FAFIMAN. (Anexo 08)
  • 1969/1970: Lecionou as disciplinas de Didática e Prática de Ensino e
    Currículos e Programas no curso de Pedagogia na Faculdade de Filosofia,
    Ciências e Letras de Jandaia do Sul-PR. (Anexo 09)
  • 1969/1973:
    Diretor de Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras-FAFIMAN, de Mandaguari. (Anexo
    10)
  • 1974/1975:
    Coordenador do grupo de trabalho encarregado da montagem do processo de
    Reconhecimento e Reforma Universitária – GTRU, instituído pela Portaria nº
    54/1974, GRE de 27/11/1974, da UEM e de 18 de seus cursos. (Anexo 11)
  • 1976: Relator no Conselho
    Universitário da UEM, na elaboração do 1º Estatuto e 1º Regimento desta
    instituição. (Anexo 12)
  • 1976: Coordenador da
    elaboração de novo Estatuto do Magistério do Paraná e orientador dos deputados
    do MDB, na votação deste na Assembleia Legislativa do Paraná, ocupando tribuna
    de honra da Assembleia. (Anexo 13)
  • 1976: Presidente do Grupo Auxiliar de Coordenação dos Cursos de
    Especialização em Educação e Letras da UEM, designado pela Portaria nº 124/76
    GR Reitoria. (Anexo 14)
  • 1976/1977: Membro
    do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UEM.
  • 1976/1977: 1º
    Coordenador de Colegiado de Curso de Pedagogia, da UEM. (Anexo 15)
  • 1977/1978:
    Diretor da Diretoria de Assuntos Acadêmicos-DAA, da UEM. (Anexo 16)
  • 1976/1979: Presidente
    da Associação dos Professores Licenciados do Paraná – APLP. (Anexo 17)
  • 1979/1980: Membro da Comissão Permanente de Tempo Integral e Dedicação
    Exclusiva –COPERTIDE, designado pela Portaria nº 245/79 GRE. (Anexo 18)
  • 1980/1984:
    Diretor do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes – CCH da UEM. (Anexo 19)
  • 1980/1984: Membro
    do Conselho Universitário e do Conselho de Administração da UEM. (Anexos 20 e 21)
  • 1980/1984: Presidente do Conselho Departamental do Centro de Ciências
    Humanas, Letras e Artes, na UEM. (Anexo 22)
  • 1987: Presidente da Comissão Especial do Regulamento do Quadro de
    Pessoal do Magistério do Município de Maringá, designado pela Portaria nº
    157/83-GP. (Anexo 23)
  • 1988/1989: Exerceu a função de Supervisor de Ensino no Colégio Estadual
    Rodrigues Alves de Maringá-PR. (Anexo 24)
  • 1991/1991:
    Chefe interino do Departamento de Teoria e Prática, da UEM. (Anexo 25)
  • 1992/1992:
    Coordenador do Ensino de Graduação, na UNIPAR. (Anexo 26)
  • 1993: Presidente da Comissão designada pelo reitor da UEM para apurar as
    irregularidades na criação dos cursos na Extensão da UEM em Goioerê. (Anexo 27)
  • 1994: Membro da Comissão que procedeu à reformulação do Regimento Geral
    da UEM, designado pela Portarianº
    1926/93-GRE. (Anexo 28)
  • 1992/1995:
    Coordenador do Laboratório de Apoio Pedagógico-LAP, da UEM. (Anexo 29)
  • 1994/1995: Coordenador
    do Projeto de Ensino: Implementação do Laboratório de Apoio Pedagógico, com
    carga horária de 20 horas semanais. (Anexo 30)
  • 1994/1995:
    Representante da UEM como membro do Conselho Diretor do Consórcio
    Interuniversitário de Educação a Distância- BRASILEAD. (Anexo 31)
  • 1995: Presidente da comissão
    de estudos para Educação a Distância na UEM. (Anexo 32)
  • 1995: Presidente da Câmara de Planejamento do Conselho Universitário
    da Universidade Estadual de Maringá-PR. (Anexo 33)
  • 1996: Técnico do Programa
    de Expansão e Melhoria do Ensino Médio– PROEM, junto à Secretaria de Estado da
    Educação do Paraná. (Anexo 34)
  • 1996: Assessor Técnico-Pedagógico
    da Secretaria de Estado da Educação do Paraná. (Anexo 35)
  • 1996: Sistematizador das
    propostas e sugestões dos núcleos regionais e dos municípios do Paraná, a
    pedido do secretário estadual de educação do Paraná, para ser enviado ao
    Congresso Nacional, via CONSED, para o projeto de alteração da LDB, que passou
    a ser a Lei nº 9.394/96.
  • 1996: Assistente da Superintendência de Educação/SEED, Portaria nº
    722/96. (Anexo 36)
  • 1996: Presidente da comissão para proceder à seleção dos técnicos e
    especialistas a que se refere o Edital nº 001/96/SEED/SUED, na área da Educação
    a Distância. (Anexo 37)
  • 1996: Membro de comissão para proceder à seleção dos técnicos e
    especialistas a que se refere o Edital nº 001/96/SEED/SUED, na área da Legislação
    Educacional. (Anexo 38)
  • 1996: Membro da comissão para proceder à seleção dos técnicos e especialistas
    a que se refere o Edital nº 001/96/SEED/SUED, na área de Supervisão Escolar,
    currículos e orientação educacional. (Anexo 39)
  • 1996: Membro da comissão para proceder à seleção dos técnicos e
    especialistas a que se refere o Edital nº 001/96/SEED/SUED, na área de
    enfermagem. (Anexo 40)
  • 1996: Presidente da comissão para proceder à seleção dos técnicos e
    especialistas a que se refere o Edital nº 001/96/SEED/SUED, na área de
    avaliação. (Anexo 41)
  • 1996: Membro da comissão para proceder à seleção dos técnicos e
    especialistas a que se refere o Edital nº 001/96/SEED/SUED, na área de ciclo
    básico. (Anexo 42)
  • 1996: Membro da comissão para proceder à seleção dos técnicos e
    especialistas a que se refere o Edital nº 001/96/SEED/SUED, na área de
    Planejamento Educacional, Gestão de Sistemas educacionais e financiamento da
    educação. (Anexo 43)
  • 1997: Presidente da
    Comissão, nomeada pela Portaria nº 2602/97-GRE, pelo Reitor da Universidade
    Estadual de Maringá, encarregada de elaborar projeto para criação de
    infraestrutura com a finalidade de viabilizar a Educação a Distância, na UEM. (Anexo 44)
  • 1997: Coordenador no
    Projeto de Ensino: Gestão Educacional de Qualidade na UEM, com carga horária
    semanal de 20 horas/aula. (Anexo 45)
  • 1997/1998:
    Membro e relator da comissão que elaborou o Projeto de Formação de Professores
    da Rede Pública Estadual e Municipal do Paraná, em nível superior, nomeada pela
    Resolução nº 3787/97, do Secretário de Estado da Educação do Paraná. (Anexo 46)
  • 1998/2000:
    Coordenador do Programa de Educação a Distância
    – PREAD, na UEM. (Anexo 47)
  • 1998/atual: Diretor
    Presidente do Instituto para o Desenvolvimento da Educação e da Cidadania-IEC. (Anexo
    48)
  • 1998: Participação do grupo da missão de estudos da Educação a Distância,
    na Inglaterra e Espanha: Distance Education
    Co-ordinator, State University of Maringa
    , Paraná. (Anexo 49)
  • 2004/2020: Presidente
    do Conselho de Administração da FAINSEP. (Anexo 50)
  • 2005/2020: Diretor
    Geral da FAINSEP – Faculdade Instituto Superior de Educação do Paraná. (Anexo 51)
  • 2011: Vice-presidente de Orçamentos e Finanças do SINEO/NOPR. (Anexo 52)
  • 2016/2020: Diretor
    pedagógico da FAINSEP – Faculdade Instituto Superior de Educação do Paraná. (Anexo
    53)
  • 2017/2019:
    Membro do Conselho Municipal de Educação de Maringá-CME. (Anexo 54)
  • 2018/atual:
    Coordenador do Spin 2 da Câmara Técnica da Educação do CODEM- Conselho de
    Desenvolvimento Econômico de Maringá. (Anexo 55)

PRÊMIOS E TÍTULOS

  • 1973: Classificado em 1º
    lugar na seleção, entre 91 candidatos, ao Mestrado em Educação na PUC-RS. (Anexo
    56)
  • 1976: Comenda do Reitor da
    Universidade Estadual de Maringá, UEM, por relevantes serviços prestados à
    Instituição. (Anexo 57)
  • 2014: Troféu ABED –
    Associação Brasileira de Educação a Distância, em reconhecimento à relevante
    colaboração para o desenvolvimento da educação aberta, flexível e à distância do Brasil. (Anexo 58)

PUBLICAÇÕES

  • 1991: A didática necessária
    – 320 p. São Paulo: IBRASA. (Anexo 59)
  • 1997: Autonomia: condição
    para uma gestão democrática – 158 p. Maringá: EDUEM. (Anexo 60)
  • 2015: A didática necessária
    – 253 p., 2ª edição, disponível on-line
    em: https://bit.ly/adidaticanecessaria.
  • 2020: Autonomia: condição
    para uma gestão democrática – 2ª edição, 164 p., disponível on-line em:
    https://bit.ly/autonomiagestao.  

CURSOS MINISTRADOS

  • 1987: Curso: “O papel da
    didática e da prática de ensino na formação dos docentes de 1º e 2º graus”, com
    duração de 20 horas, na Unicentro (Guarapuava), de 11 a 15 de maio. (Anexo 61)

CURSOS DE EXTENSÃO

  • 1962: “Curso de Detetive
    Particular”, por correspondência, que é a primeira geração de EAD, ofertado
    pelo Instituto Universal Brasileiro. (Anexo 62)
  • 1963: “Higiene mental na
    infância”, ministrado pelo Prof. Newton Petsch.
  • 23/04/1964 a 16/07/1964:
    “Informações sobre a Psicanálise”, ministrado pelo Dr. Paulo Tarso Mont’
    Serrat.
  • 11/05/1964 a 29/05/1964: “A
    Psicologia Evolutiva do Prisma da Psicologia Profunda e da Psicanálise”,
    ministrado pelo Prof. Fe. Aloysio Kohler S. J.
  • 10/1964: “Problemática da
    Adolescência e Psicodinâmica do Ajustamento Adulto”, ministrado pela Dra. Madre
    Maria Cristina. (Anexo 63)
  • 13/10/1964 a 21/10/1964:
    “Vida Afetiva da Criança em Idade Escolar”.
  • 1965: “Educação Moderna”,
    ministrado pelo Prof. Imídio Nérici.
  • 24/05/1965 a 14/06/1965:
    “Introdução aos Métodos de Investigação”, ministrado pela Profª. Maria T. de
    Amorim.
  • 1965: “Curso de Recursos
    Audiovisuais”, promovido pelo PRPE, Prof. Queiroz Filho, S.R.A.V. de Curitiba e
    Universidade Federal do Paraná, com duração de cerca de 60 horas. (Anexo 64)
  • 1965: “Seminário de
    Orientadores Educacionais de Curitiba”. (Anexo 65)
  • 01/02/1966 a 15/02/1966:
    “Seminário de Educação do Curso de Verão”, realizado na Universidade Federal do
    Paraná.
  • 20/05/1966 a 27/05/1966:
    “Fenômenos Parapsicológicos do Conhecimento”, ministrado pelo Pe. Oscar G.
    Quevedo.
  • 01/10/1966 a 20/10/1966:
    “Percepção e Aprendizagem”, ministrado pelo Prof. Dr. Antônio Gomes Pena.
  • 1967: “Curso de Psicologia da Aprendizagem”, realizado pela
    Universidade Federal do Paraná. (Anexo 66)
  •  1968: Curso
    de verão: Planejamento Educacional, prelecionado de 5 a 9 de fevereiro, pela
    Universidade Federal do Paraná. (Anexo 67)
  • 1968: Curso de “Teoria e Prática da Escola Primária”, realizado pela
    Divisão do Ensino Normal. (Anexo 68)

APROVAÇÃO EM CONCURSOS

  • 1967: Disciplina de Fundamentos da Educação, pela Secretaria de
    Educação e Cultura de Curitiba-PR. (Anexo 69)
  • 1967: Disciplina de Teoria e Prática da Escola Primária, pela Secretaria
    de Educação e Cultura de Curitiba-PR. (Anexo 70)
  • 1972: Disciplina de Administração Escolar do Departamento de Didática,
    na Universidade Estadual de Londrina. (Anexo 71)

PARTICIPAÇÃO EM CONCURSOS

  • 1970: Banca examinadora designada pela portaria nº 5.332 de 2/7/69, no
    concurso para provimento no cargo de Professor do Ensino Primário Normal, nível
    16, do município de Mandaguari-PR. (Anexo 72)
  • 1970: Banca examinadora designada pela portaria nº 5.332 de 2/7/69, no
    concurso para provimento no cargo de Professor do Ensino Primário Normal, nível
    16, do município de Jandaia do Sul-PR. (Anexo 73)
  • 1972: Banca examinadora do 8º concurso público de provas e títulos
    para professor não titular, na Universidade Estadual do Oeste do Paraná
    (Cascavel). (Anexo 74)

PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS

  • 1972: I Encontro Nacional
    de Professores de Didática promovido pelo MEC e Universidade de Brasília. (Anexo
    75)
  • 1973: I Encontro sobre
    Estrutura e Implantação de Faculdades de Educação, realizado em Porto Alegre –
    RS. (Anexo 76)
  • 1974: VI Simpósio de
    Administração Escolar, realizado no Recife – PE, promovido pela Associação
    Nacional de Professores de Administração Escolar. (Anexo 77)
  • 1976:Seminário de Desenvolvimento Organizacional, realizado na UEM, em
    Maringá – PR. (Anexo 78)
  • 1977: 1º Seminário de Direito Educacional, promovido pela
    UNICAMP e CENTAU, em Campinas – SP.
    (Anexo 79)
  • 01/07/1977 a 07/07/1977: 1ª
    Jornada Pedagógica do Paraná, realizada em Arapongas – PR. (Anexo 80)
  • 08/1977: 1º Encontro dos
    Chefes dos Setores de Registro de diplomas das Universidades Oficiais,
    realizado em Brasília – DF. (Anexo 81)
  • 05/07/1978 a 08/07/1978: IX
    Simpósio Brasileiro da ANPAE – Associação Nacional de Profissionais de
    Administração da Educação na UFPR, em Curitiba – PR. (Anexo 82)
  • 1969: Simpósio de Ensino
    Normal, realizado em Londrina – PR. (Anexo 83)
  • 1980: Seminário de Análise Transacional e as Relações Interpessoais no
    Desenvolvimento Organizacional, realizado pela UEM no período de 24 e 25 de
    julho, com carga horária de 17h. (Anexo 84)
  • 1983: Semana de Estudos (CENAFOR):
    Usos e desusos de materiais instrucionais, no CENAFOR, realizado em São Paulo –
    SP. (Anexo 85)
  • 1984: Curso de Pedagogia de Freinet a nível de atualização, promovido
    pela UEM. (Anexo 86)
  • 1985: 3º Seminário: ‘”A
    Didática em Questão”, realizado na Faculdade de Educação da USP, São Paulo –
    SP. (Anexo 87)
  • 1985: “Ciclo de Debates
    Sobre a estrutura Curricular do Curso de Pedagogia” na Universidade Estadual de
    Maringá. (Anexo 88)
  • 1989: Seminário de Metodologia do Ensino Jurídico, realizado pela UEM.
    (Anexo 89)
  • 1989: Encontro Paranaense
    de Didática, realizado na UEM, em Maringá – PR. (Anexo 90)
  • 1989: Simpósio paranaense
    sobre a lei de Diretrizes e bases da Educação, realizado na UEM, em Maringá –
    PR. (Anexo 91)
  • 1991: Seminário de Integração do 1º e 2º Graus e Ensino Superior nos
    dias 18 e 19, com carga horária de 20h. (Anexo 92)
  • 1991: VI Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino e I Encontro
    dos Países Cone o Sul sobre Formação do Educador, com carga horária de 40h.
    (Anexo 93)
  • 26/09/1994 a 29/09/1994: Representante
    da UEM, no Seminário Internacional sobre “As Novas Tecnologias na Educação e na
    Formação Continuada: a educação sem distância para o século XXI”, realizado em
    Brasília-DF. (Anexo 94)
  • 14, 15 e 16/12/1994:
    Seminário “Educação à Distância: uma alternativa de democratização do saber”,
    realizado na Universidade Federal do Paraná. (Anexo 95)
  • 1994: Coordenador dos debates, nas palestras proferidas durante o
    Seminário Estadual de Avaliação Escolar, pelo departamento de Ensino do 2º grau
    de Curitiba-PR, no período de 15 a 17 de março. (Anexo 96)
  • 25/09/1995 e 26/09/1995: Seminário
    de Inovações Educacionais na UEL, promovido pelo Departamento de Educação do
    Centro de Educação, Comunicação e Arte. (Anexo 97)
  • 20/11/1995 a 22/11/1995:
    Evento de Extensão Universitária denominado “Seminário de Educação a Distância
    e Novas Tecnologias: reflexões acerca das questões metodológicas”. (Anexo 98)
  • 1995: Evento de Extensão da “V Semana de Pedagogia”, com carga horária
    de 1h, pela UEM. (Anexo 99)
  • 01/09/1995 a 19/05/2000: Coordenador do Projeto de Ensino intitulado “Educação à distância
    e ensino/aprendizagem com novas tecnologias”, perfazendo a carga horária de
    20h, conforme contido no Processo nº 095/96. (Anexo 100)
  • 19/07/1996 a 30/07/1996:
    Missão de Estudos à Inglaterra e à Espanha, sobre EAD, promovida pelo CONSED –
    Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação. (Anexo 101)
  • 1996: Curso “Elaboração e Gestão de Projetos Públicos, com carga horária
    de 100h, realizado pelo IPARDES, em Curitiba-PR. (Anexo 102)
  • 1996: Conferência Internacional “Kaizening e Suas Aplicações”, proferida
    pelo Dr. Yasuhiko Tsutsumi, realizada pelo Instituto Brasileiro da Qualidade e
    Produtividade – IBQP. (Anexo 103)
  • 1996: Conferência Internacional – Gestão da Qualidade Total “Arrogância
    ou Elegância?”, proferida pelo Dr. Naoto Sasaki, em Curitiba-PR. (Anexo 104)
  • 1997: Semana Pedagógica, cujo tema “Uma nova perspectiva para a
    Orientação Educacional, realizada pelo Núcleo Regional de Educação. (Anexo 105)
  • 04/11/1997 a 07/11/1997: XXIX
    Seminário Brasileiro de Tecnologia Educacional “Ensino a Distância: da Teoria à
    Prática”, promovido pela Associação Brasileira de Tecnologia Educacional – ABT,
    Rio de Janeiro. (Anexo 106)
  • 1997/1998: Elaboração do Projeto de Licenciatura em Ensino Fundamental 1ª a
    4ª séries, na Secretaria de Estado de Educação. (Anexo 107)
  • 1998: Seminário Internacional – 2 anos da TV Escola, realizado em Brasília,
    Distrito Federal. (Anexo 108)
  • 1998: Ministrou temas intitulados: “Importância da EAD”, “Os Objetivos
    da EAD”, “Tecnologia Educacional”,    “A
    Metodologia em EAD”, “O Roteiro”, “A Questão dos Métodos e Teorias na
    Organização dos Programas”, “O processo Ensino Aprendizagem nos Meios”, “A
    Produção de Material”, “A Avaliação em EAD”, “Os Meios em EAD”, no Curso de
    Extensão “Introdução à Educação a Distância”, realizado pela UEM, com carga
    horária de 52h. (Anexo 109)
  • 1998: Seminário de Educación a Distancia de 10 Horas em Madrid –
    Espanha. (Anexo 110)
  • 2000: Ministrou o curso sobre Educação a Distância para os professores
    do Núcleo Regional de Educação de Francisco Beltrão, no Sudoestes do Paraná,
    com carga horária de 6h. (Anexo 111)
  • 2002: V Seminário de Educação e Cidadania – I Congresso Internacional,
    realizado no Teatro Regional Calil Haddad, em Maringá-PR, com carga horária de
    25h. (Anexo 112)
  • 2003: Coordenou o Projeto Pedagógico na Educação Básica”, perfazendo a
    carga horária semanal de 18h, conforme o contido no Processo nº 1391/00. (Anexo
    113)
  • 2004: Ministrou a disciplina de Estágio Supervisionado em Supervisão
    Escolar, com carga horária de 60h, no curso de Especialização em Coordenação
    Pedagógica e Supervisão Escolar, pela UEM. (Anexo 114)
  • 31/08/2005 a 02/09/2005: Congressista
    no Tec Educ@tion 2005 – Congresso e Exposição Internacional de Tecnologia
    Educacional, em Curitiba-PR.
  • 2005: Participante do Fórum Futuro 10 Paraná na etapa regional de
    Maringá. (Anexo 115)
  • 14, 15 e 16/06/2007: X Seminário
    de Educação e Cidadania, na cidade de Maringá-PR.
  • 10/2007: I Congresso de
    Tecnologia Educacional, promovido pela ABT no Rio de Janeiro. (Anexo 116)
  •  2008: Assistiu à
    palestra Escola da Ponte com duração de 4 horas, proferida por José Pacheco,
    educador e pedagogo da Escola da Ponte, Portugal.(Anexo 117)
  • 06/05/2009: Proferiu
    palestra: Condição para uma Educação Básica de Qualidade, na I Conferência
    Municipal de Educação de Ivatuba-PR. (Anexo 118)
  • 04/06/2009 e 05/06/2009: Participação
    no GAcad – II Encontro Nacional de Gestores Acadêmicos, em São Paulo, promovido
    pela HUMUS Consultoria.
  • 16/07/2009 a 18/07/2009: 7º
    Congresso Internacional sobre Avaliação na Educação, na cidade de Curitiba-PR.
  • 21/09/2009: Curso
    de Extensão Universitária de Avaliação e Regulação no Sistema Federal de
    Ensino, promovido pelo ILAPE, em Curitiba-PR.
  • 27/09/2009 a 30/09/2009: XV
    Congresso Internacional de Educação a Distância, promovido pela ABED em
    Fortaleza. (Anexo 119)
  • 28/09/2009 e 29/09/2009: Seminário:
    Regulação e Supervisão em Educação à Distância, promovido pela Secretaria de
    Educação à Distância/ MEC, em Brasília-DF.
  • 31/08/2010 a 03/09/2010: 16º CIAED-Congresso
    Internacional ABED de Educação a Distância, em Foz do Iguaçu/PR, promovido pela
    ABED-Associação Brasileira de Educação a Distância.  (Anexo 120)
  • 2011: Evento de Extensão “Ciclo de Palestras Mente e Cérebro: Evolução
    e Plasticidade”, Processo nº 11343/2011, realizado pela UEM. (Anexo 121)
  • 2011: Evento “Podemos mais pela Educação”, realizado pelo Colégio Dom
    Bosco de Maringá-PR, com carga horária de 4h. (Anexo 122)
  • 31/08/2012 a 01/09/2012: XIV
    Congresso de Educação e Cidadania, na cidade de Maringá/PR. (Anexo 123)
  • 23/09/2012 a 26/09/2012:
    Convidado e participante da mesa redonda no 18º CIAED-Congresso Internacional
    ABED de Educação a Distância, em São Luis/MA, promovido pela ABED-Associação
    Brasileira de Educação a Distância, onde participou da mesa redonda “Para onde
    vai a EaD na sua opinião?”, no dia 24/09/2012. (Anexo 124)
  • 06/06/2013 a 8/06/2013: VI
    Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular: construindo caminhos para
    o amanhã, no Mabu Thermas & Resort, em Foz do Iguaçu/PR, promovido pelo
    Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular. (Anexo 125)
  • 09/09/2013 a 12/09/2013:
    Convidado e participante na mesa redonda no 19º CIAED-Congresso Internacional
    ABED de Educação a Distância, em Salvador/BA, promovido pela ABED-Associação
    Brasileira de Educação a Distância, onde fez parte da mesa redonda
    “Regulamentação da EaD para o Ensino Superior no Brasil: onde estamos, o que
    precisamos fazer?”, no dia 11/09/2013. (Anexo 126)
  • 29/11/2013 e 30/11/2013: IV
    Jornada sobre NeuroEducação- Neurociências, Aprendizagem e Educação, no Teatro
    Mario Lago- Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. (Anexo 127)
  • 06/10/2014 a 09/10/2014:
    Participante e ministrante de minicurso no 20º CIAED-Congresso Internacional
    ABED de Educação a Distância, em Curitiba/PR, promovido pela ABED-Associação
    Brasileira de Educação a Distância. Minicurso intitulado: “Como credenciar uma
    IES para EaD, sem ter recursos financeiros”. (Anexo 128)
  • 25/10/2015 a 29/10/2015: 21º
    CIAED-Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, em Bento
    Gonçalves/RS, promovido pela ABED-Associação Brasileira de Educação a
    Distância. (Anexo 129)
  • 07/04/2016 e 08/04/2016: Seminário
    Nacional sobre a Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a
    Formação Inicial e Continuada de Profissionais do Magistério, no Plenário
    Anísio Teixeira, Edifício Sede do CNE, em Brasília-DF.
  • 08 a 27/09/2016: SIED:EnPED
    – Simpósio Internacional de Educação a Distância e Encontro de Pesquisadores em
    Educação a Distância, promovido pela Universidade Federal de São Carlos
    (UFSCar).
  • 2016: Coordenou o curso de
    Capacitação em Metodologia da Aprendizagem para EAD, com carga horária de 30h,
    pela FAINSEP. (Anexo 130)
  • 19/09/2017 a 23/09/2017:
    Participou e apresentou trabalho no 22º CIAED-Congresso Internacional ABED de
    Educação a Distância, em Águas de Lindóia/SP, promovido pela ABED-Associação
    Brasileira de Educação a Distância. Trabalho apresentado: “As absurdas normas
    da regulação de EAD e alternativas para acelerar credenciamentos e autorizações.
    As inovações e resoluções possíveis com EAD. As experiências com EAD da FAINSEP”,
    no dia 19/09/2017.
  • 17/08/2018 e 18/08/2018: XXI
    Congresso de Educação e Cidadania, realizado nos dias, no Teatro Marista, em
    Maringá/PR, promovido pelo SINEPE/NOPR.
  • 27/11/2018 e 28/11/2018: IV
    Fórum Região Sul – A Formação Continuada e os Desafios da Implementação da
    BNCC, no Teatro Marista, em Maringá/PR, promovido pela UNDIME/PR.
  • 23/02/2019: Participante
    e membro da comissão no Evento de Extensão “A Formação Docente em Discussão”,
    pela Universidade Estadual de Maringá, pela Pró-Reitoria de Extensão e
    Cultura/Coordenadoria de Apoio à Educação Básica, com duração de 04 horas. (Anexo
    131)
  • 18/06/2019: 1º
    Fórum de Inovação e Tecnologia da Educação, na UNICESUMAR, promovido pelo
    SINEPE/NOPR. (Anexo 132)
  • 23/08/2019 e 24/08/2019: XXII
    Congresso de Educação e Cidadania, na cidade de Maringá/PR, promovido pelo SINEPE/NOPR.
  • Seminário
    de Administração de Ciência e Tecnologia na Universidade Brasileira, promovido
    pela COPPE-UFRJ, realizado no Rio de Janeiro.

FEITOS:

  • 1. O primeiro e mais relevante foi ter uma família brilhante, que é seu tesouro: 6 filhos, 13 netos, 5 genros, 1 nora e 1 bisneto. (Anexo 133) (fotos)
  • 2. 1970-1972: Construiu prédio próprio e salvou a FAFIMAN da falência. (Anexo 134)
  • 1971: Instituiu Ensino Híbrido na FAFIMAN, com 50% de estudos em casa e 50% presencial. (Anexo 135)
  • 3. Realizou o projeto de Fundações Educacionais do Paraná e a Estruturação da UEM. (Anexo 136)
  • 4. Possui um bom capital: conhecimento e currículo.
  • 5. Tem o hábito e o vício de sempre saber mais.
  • 5. Idealizou e conseguiu a criação da 1ª faculdade, exclusivamente para Educação a Distância, que é a única do Brasil credenciada e recredenciada para esta modalidade de ensino.
  • 6. Conseguiu impedir o registro de 35 mil diplomas expedidos por uma faculdade sem credenciamento do MEC para EAD, o IESDE, que foi uma verdadeira guerra. (Anexo: …)
  • 7. Conseguiu fechar outra faculdade falsa, que tinha sede em uma sala no Edifício Três Marias, em Maringá-PR. (Anexos…)
  • 8. Conseguiu vitória na justiça contra um abaixo-assinado de 13 comunistas, da Universidade Estadual de Maringá, que queriam que ele fosse demitido da UEM por ter denunciado, em ata de concurso para professores na UEM, irregularidades graves praticadas por um dos membros conseguindo notas bem abaixo do merecido  em que este deu nota 2 (dois) no exame ao candidato com maior mérito para o qual eu dei 8 (oito), por motivos ideológicos.
  • 9. Elaborei a árvore genealógica da Família Karling do Brasil, disponível no link: https://www.blogger.com/blog/post/edit/1439485132684970526/3422246066467565208

ACESSE OS ANEXOS DA RIQUEZA DO CONHECIMENTO NO LINK ABAIXO

  • https://drive.google.com/file/d/1RjvRexWuvI4s2saN7gYZ3fdH7b46nhEe/view?usp=drive_web

NÃO SEJA CAPIM

Argemiro Aluísio Karling

Diretor Presidente do Instituto para o Desenvolvimento da
Educação e da Cidadania – IEC e Diretor Pedagógico da FAINSEP

 

Que título esquisito! A inspiração para eu dar o título acima foi um artigo de jornal com o título: “Em briga de elefante, quem sai massacrado é o capim”. No texto, tem a frase: “O povo já é acostumado a ser massacrado pelos elefantes (os políticos), poderia usar o seu direito
mais forte, o voto”.

Vivemos num país democrático. Democracia quer dizer participação de todos. Nós, portanto, somos os responsáveis por ele.

O que garante nossa democracia é a Constituição Federal – CF. Nela, constam nossos direitos e deveres.

Um desses direitos é que nós, cidadãos comuns, podemos apresentar projeto de lei, mediante assinatura de, no mínimo, um por cento do eleitorado nacional. Isso está previsto no §2º do Artigo 61 da Constituição.

No Brasil, temos, hoje, 141.824.607 eleitores. Assim sendo, com um milhão e meio de assinaturas, podemos apresentar propostas de lei no Congresso Nacional para acabar com a corrupção e a impunidade no país.

Temos proposta apresentada pelo Juiz Federal, Sérgio Moro, e pelo Ministério Público Federal, que investigam crimes de assalto aos cofres públicos. Investigam, mas têm dificuldades para puni-los.

Ultimamente, os noticiários de TV, jornais e revistas divulgam os escabrosos resultados da Operação “Lava Jato”, que investiga a corrupção na Petrobras, maior empresa do país, que é nossa. O total desviado pode chegar a R$ 19 bilhões. Alguns desses criminosos, sozinhos, passaram a mão em mais de R$100 milhões.

Entretanto, há um sujeito muito especial que abocanhou um pouco mais: R$468 milhões. É o ex-senador Luiz Estevão, condenado, em 2006,
a 31 anos de prisão. Porém, está soltinho, como um pássaro voando.

O processo já está com mais de 30.000 folhas. Por quê? É a nossa legislação que permite este absurdo.

O Ministério Público e a Justiça gastam tempo e fortunas para pegar os bandidos, porém a lei permite que eles se safem. Até quando?

 Os jornais publicaram que apenas um pouco mais de 200 mil haviam assinado a “Lista de Apoiamento” para acabar com a corrupção.

Temos, no Brasil, 8,4% de analfabetos reais, que não sabem ler, mais cerca de 30% de analfabetos funcionais. Sabem ler, mas entendem pouco.

Somadas essas duas categorias, mais os analfabetos políticos, eu imaginava termos cerca de 90% de analfabetos políticos no Brasil.

Porém, agora, com esse baixo número de assinaturas para acabar com a corrupção, é possível supor que o índice ultrapasse os 97%.

Os criminosos organizam-se. E os honestos e os éticos omitem-se, fecham-se no egoísmo, ou na covardia.

Estes, questionados para assinar a lista, respondem: “isso não me interessa; não adianta; não quero nem saber; não me meto nesse assunto”. Uma pessoa ao ser questionada: “Então você é a favor da corrupção?”  Respondeu: “Respeito sua opinião”.

As abelhas, para defender sua comunidade, dão a vida, com sua ferroada. Você, para defender o Brasil da corrupção, basta dar o voto.

Podemos nos organizar e nos manifestar. Nesta proposta, nem é necessário se organizar. Basta preencher os dados, assinar e pronto. Não está com o título de eleitor em mãos? Não precisa. Pelo seu CPF e pelo nome da mãe, os organizadores procuram e registram o número do seu título na lista.

Você é cidadão? Então, assine a Lista e convide seus amigos a fazerem o mesmo.

Elaborado em: 28/09/2015

Mais informações no site: http://www.combateacorrupcao.mpf.mp.br/10-medidas

A PESSOA ÉTICA

Argemiro Aluísio Karling

A falta de ética é um dos maiores problemas do mundo de hoje: a corrupção, as mortes, a pobreza, a fome, a guerra, a discórdia.

Mas, o que é ética? Para defini-la, levar-se-ia algum tempo. Melhor é descrever uma pessoa ética. É mais rápido e dá mais resultados.

Não há necessidade de muita busca em literatura. Cada um de nós tem alguma experiência sobre o assunto.

Em 30 de julho de 2002, dei um curso para professores municipais, dem Jaguapitã. Utilizei a técnica do bombardeamento por cartões, quando foi lançada a seguinte pergunta aos cursistas: “Como se caracteriza uma pessoa que tem ética?” Obteve-se o seguinte resultado:

Uma pessoa ética:

– tem respeito pelo outro;

– tem bom comportamento social;

– tem conhecimento adequado ao grupo ao qual pertence;

– preza pelos seus valores e pelos dos outros;

– é educada;

– sabe guardar sigilo;

– tem senso de responsabilidade;

– tem bom senso;

– sabe ouvir e falar, respeitando as opiniões dos outros;

– tem respeito pelo trabalho;

– tem respeito profissional em relação ao trabalho dos colegas;

– respeita a vida particular das pessoas;

– é justa;

– é honesta;

– é humilde;

– é discreta;

– é sensível e solidária com o próximo;

– é autêntica;

– sabe enfrentar, com categoria, os problemas do dia a dia;

– sabe trabalhar em equipe;

– é ponderada;

– é conhecedora dos direitos do cidadão;

– é defensora do bem coletivo;

– é consciente de seus deveres para com a coletividade;

– se dá bem em todos os lugares;

– é íntegra;

– é companheira;

– é trabalhadora;

– é participativa;

– tem caráter;

– “não faz fofocas”;

– é fiel;

– é confiável;

– tem moral;

– se dá bem no trabalho;

– valoriza a atividade alheia;

– tem postura;

– respeita a opinião formada dos outros;

– busca a paz;

– aceita críticas, sem guardar rancor;

– respeita e procura elevar sua categoria;

– tem espírito de equipe;

– busca a integração;

– sabe falar a coisa certa, na hora certa;

– se dá bem profissionalmente;

– é religiosa;

– faz o outro feliz;

– ama o próximo;

– tem compromisso com o trabalho;

– tem compromisso com a verdade;

– é sociável;

– está aberta a novos conhecimentos;

– é dinâmica;

– “não se intromete nos assuntos alheios”;

– é profissional competente;

– ama o que faz;

– respeita o seu espaço e o dos outros;

– é atenciosa;

– sabe o que quer;

– procura sempre fazer o melhor;

– age com firmeza de caráter;

– cumpre as leis e as normas;

– sabe ponderar o que fala;

– sabe dialogar;

– “não comenta problemas de trabalho com leigos”;

– é prudente;

– tem equilíbrio emocional;

– tem compromisso com a família;

– respeita a diversidade cultural, política, religiosa e social das pessoas;

– pensa para agir;

– busca mudanças;

– supera as falhas;

– compartilha o conhecimento que tem;

– busca aperfeiçoar-se constantemente;

– reflete sobre as próprias atitudes e busca melhorar;

– está sempre empenhada em dar o melhor de si mesma;

– é sensata;

– respeita o conhecimento e os limites de seu próximo;

– ouve, sem criticar e sem reagir;

– preocupa-se com o patrão;

– preocupa-se com o bem-estar das pessoas com quem trabalha;

– “não fica expondo as mazelas de outras pessoas”.

Quantas ideias maravilhosas! E observe, nenhuma tirada de livros, mas da soma do saber individual. Foram juntadas, mediante uma simples técnica, o “bombardeamento por cartões”. Nenhum discurso de sábio apresentaria tal qualidade de descrição sobre uma pessoa ética.

Você tem a caracterização. Agora, basta fazer o esforço para a busca da perfeição ética.

Ao levantar-se pela manhã, abra a porta ou a janela e contemple as plantas, o céu, as nuvens e imagine ser a primeira vez que vê este espaço e essas coisas. Olhe também para você. Pense que você é muito especial. Que você é educador(a). Que você pode ser melhor do que é. Pense que você pode ser amado(a) por seus alunos e é lembrado(a) por eles quando adultos. Como você gostaria de ser lembrado(a)? Com que qualidades você conseguiu contagiá-los?

Lembre-se todos os dias de cada um dos itens que caracteriza uma pessoa ética e faça esforço para buscar a perfeição! Seja todo dia melhor que no dia anterior!

Que é Pátria e quem é Patriota?

Argemiro Aluísio Karling

1. A pátria

A pátria é você. A Pátria é o Presidente da República, são os militares, os deputados, os vereadores; Pátria são os professores, os trabalhadores, os jovens, os estudantes, as mães e as crianças; Pátria somos todos nós; Pátria é o nosso Brasil, verde/amarelo.

Pátria é nossa Constituição. Pátria somos nós, debaixo deste lindo céu. Olhem para fora e vejam se não é lindo mesmo! Existe outro céu como este?

Pátria, somos nós e nossas leis, nossos costumes, nosso modo de viver.

Pátria é nossa música, nossa alegria, nossa vida e nossas festas e tradições.

Pátria é nossa língua. Língua portuguesa que é falada no Rio Grande do Sul, no Paraná e lá no meio dos matos da Amazônia. É a língua com que nossa gente se entende, com que nossa gente canta, com que nossa gente escreve. É a língua que foi usada para contar nossos feitos, nossas vitórias e nossas bravuras.

É a língua usada pelos nossos poetas para nos fazer pasmar, chorar.

Pátria são nossas flores, nossas aves, nossos bosques e nossos rios.

Pátria é cemitério onde estão nossos pais, avós, que nos criaram e nos educaram, para onde foram os heróis que defenderam nossa terra.

Pátria é o nosso céu, nosso povo e nosso solo.

Pátria é nosso berço, nossa casa, nosso cemitério e o túmulo dos antepassados.

Pátria é nosso lar, nossa família que nos dá alegria e felicidade.

Pátria é nossa liberdade, nossa fé, nossa vida.

Pátria é nossa terra, nossa riqueza, nossa educação!

2. Quem é patriota

– Patriota é quem faz alguma coisa boa a seu colega, ao seu amigo e até ao inimigo.

– Patriota é quem ajuda os outros, interessa-se pela vida e pela educação deles.

– Patriota é quem se interessa pela saúde dos seus vizinhos, pelo bem-estar deles.

– Patriota é quem quer a felicidade dos outros e faz alguma coisa por essa felicidade.

– Patriota é quem procura saber mais para que possa andar com as próprias pernas.

– Patriota é quem trabalha, quem sofre pelo Brasil.

– Patriota é o trabalhador que, de manhã, ao acordar, salta da cama e diz: “Vou trabalhar para engrandecer meu Brasil, para fazê-lo rico e forte.”

Patriota é o trabalhador responsável que pensa na grandeza do Brasil e trabalha para o seu progresso.

– Patriota é a mãe que educa bem o seu filhinho, que gosta dele, que o alimenta bem para se tornar um brasileiro, sadio e corajoso.

– Patriota é o pai que trabalha e traz o dinheirinho para casa, para alimentar seus filhos, comprar roupas e pagar a educação deles.

– Patriota é o pai que dá instrução e educação a seu filho, para fazer dele um cidadão livre da ignorância, livre dos espertos; homem que foi para a escola e sabe pensar melhor, trabalhar melhor, ganhar mais e poupar mais.

Patriota é o pai que dá tudo o que pode para educar seu filho.

– Patriota é o professor que recebe a criança na escola para fazer dele um brasileiro consciente, responsável, estudioso. Para fazer dele uma pessoa inteligente, esperta, que faça alguma coisa pelos outros e pelo Brasil.

– Patriota é o médico que salva a vida dos brasileiros, que recupera o homem para o trabalho.

– Patriota é o advogado que faz justiça, que não se vende e não compra ninguém.

– Patriota é o padre e o pastor que pregam a verdade, o amor, o bem e a  justiça; que procura melhorar o coração do brasileiro e fazer com que este ame a Deus e a nossa Pátria.

– Patriota é o moço leal, sincero, honesto e trabalhador.

– Patriota é a criança que estuda, que ajuda a mamãe e o papai para a grandeza do Brasil.

– Enfim, patriotas são todos os que cumprem seus deveres; pessoas que cumprem e fazem cumprir as leis.

3. A formação do patriota

A escola de hoje deve ser um programa de atividades – não estamos mais na época do homosapiens” e sim do “homo sapiens faber”. O homem racional que usa os meios e processos do homem da oficina.

De nada vale o homem conhecer muito, se não sabe fazer nada. Precisamos, sim, formar o homem sábio e educado, treinado para a ação, para ajudar e construir. A escola antiga preparava o erudito, o intelectual, o crítico, o orador…

Hoje, já se vê o mundo, a sociedade e o homem como uma unidade. Preparar o mundo com sua tecnologia, ciência e artes para a sociedade e o homem cidadão. Preparar uma sociedade ideal para o homem viver feliz nela; e preparar um homem forte, feliz, ajustado, trabalhador para formar essa sociedade ideal.

Precisamos formar o homem sábio, crítico e conhecedor dos problemas brasileiros. Formar o homem ativo, participante e responsável, que tenha coragem de sair de seu egoísmo e ajudar seu irmão; o homem que tenha coragem de combater o erro, a mentira e a corrupção; o homem que tenha coragem de trabalhar e cooperar na linha legal da democracia, ao invés de se refugiar na ala esquerda com subversão.

Precisamos formar o homem curioso, que sempre quer saber mais.  Que lê jornal todos os dias, revistas, livros, que ouve noticiários, que pensa e encontra novas ideias para melhorar nosso Brasil.

Os objetivos da educação mudaram, pois outras são as necessidades da sociedade. Hoje, não se admite mais a chefia de um único homem. Quem deve governar é o povo. Mas, que povo? Aquele que, na escola, aprendeu a obedecer? Aquele que, na escola, passivamente ouviu lições? Aquele que decorou nomes e datas, sem fazer correlações?

Só sabe governar o homem livre, aquele que, na escola, participou; que foi treinado para liderança.

 Democracia é isso! É participação de todos, é governo de todos, cada um em seu setor, conforme sua capacidade específica.

Para participar, é preciso entender; e para entender, é preciso escola. Para participar, é preciso coragem; e para ter coragem, é necessário educação e responsabilidade.

Para participar, é necessário saúde, educação, mas também cuidar da educação.

Pátria é o Presidente da República – são os militares, os deputados, os professores, os trabalhadores, os jovens, os estudantes, as mães e as crianças.

– Pátria são nossas leis, nossos costumes e tradições.

– Instrução para que se possa andar com os próprios pés.

Para termos um Brasil forte, é necessário ter homens sábios e fortes.

4. A quem cabe formar esse patriota?

Educação, quem dá? Ninguém! É o próprio educando que se educa. O professor apenas oferece condições. Por quê? Porque queremos homens responsáveis, homens livres, que tenham iniciativa e queiram alguma coisa.

A própria criança deve querer se educar, deve querer progredir. A ela devemos dar a responsabilidade de educar-se.

Aos professores, cabe estimular a inteligência, a vontade da criança. Aos professores, cabe formar hábitos de leitura, de estudo.

O professor não pode coagir, obrigar, desajustar, arrastar, mas, sim, convencer pelo exemplo, pela sua vida.

À educação, cabe modificar o mundo, levantar o homem.

O futuro do Brasil está nas mãos dos professores!

“Que quiseres pôr na Pátria, ponha-o antes na escola.” Queremos continuar com democracia no Brasil, precisamos pôr democracia na escola (Humbold).

– Democracia é: acordar, despertar, tornar-se sábio, envolver-se ativamente e agir.

Meus amigos, minhas crianças, estamos na semana da Pátria. É uma semana de festas, de alegria.

Todos devem saber o porquê. É o aniversário da Independência do Brasil. O Brasil tornou-se livre, passou a ser dos brasileiros; o Brasil agora é nosso, todinho nosso.

Porém, é preciso cuidar, tem muita gente de olho nele. É muito rico, tem muita terra boa, é muito lindo. Mas, não vamos entregar nosso Brasil, não! Vamos defendê-lo, vamos estudar, conhecer bem nosso Brasil, trabalhar para que fique mais rico ainda e pedir para o nosso exército ficar de plantão para não deixar o inimigo entrar.

Assim, vamos ser um Brasil grande, forte e glorioso. Viva sempre, o nosso Brasil!

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.